quarta-feira, março 15, 2006

O Rio de Janeiro continua lindo...

Estamos de novo na casa do Alessandro e da Gabi, a diferença agora é que não estamos na casa de férias, estamos mesmo na casa deles no Rio ;-) Fica entre a Barra e o Recreio do Bandeirantes. e dá dó ver a vista terrível que eles tem deste 22º andar :-)) Mar, mar e mar... Tínhamos previsto sair de Cabo Frio cedinho, almoçar aqui no Rio, ver as vistas.... e seguir para Parati passando por Angra dos Reis. O problema é que ontem antes do jantar eu esqueci-me do capacete numa loja e só dei conta do esquecimento quando precisei do capacete..... já depois da meia noite! Obviamente a loja já estava fechada e estivemos de esperar hoje pelas 11 horas para recuperar o capacete. Apesar deste esquecimento o dia de ontem foi um dos melhores da viagem. Eu tinha uns assuntos para resolver mas ainda deu tempo para ficar um pouco na praia dando uns mergulhos enquanto esperávamos pelo camarão frito ou pelo peixinho acabadinho de pescar.... sim porque pela cerveja gelada não era preciso esperar, uma geleira cheia debaixo da mesa garantiu a hidratação necessária neste calor. Fomos ver o pôr do Sol ao Pontal, a ponta da península de Arraial do cabo onde enquanto o sol se põe no mar a Oeste, a lua nasce no mar a Este, um espectáculo maravilhoso! À noite fomos passear por Cabo Frio e resolvemos jantar uma bela picanha no restaurante do Zé. A picanha estava uma delicia e o Rui descobriu outra iguaria, o palmito!! Devorou duas saladas sozinho... está a redimir-se dos pecados mortais que cometeu durante toda a viagem, ele é o vegetariano mais apreciador de churrasco que eu conheço ;-) Com o esquecimento do capacete comprometi a partida cedo para o Rio, já que não temos de acordar cedo decidimos partir para a "balada" e aproveitar a noite. Começamos na Rua do Canal e ao ritmo que os lugares iam fechando nós íamos mudando de esplanada..... conhecemos gente simpática, fizemos mais amigos,...... foi assim toda a noite até sermos presenteados com um nascer do Sol magnifico.... desfrutado condignamente nas dunas brancas de Cabo Frio. Chegámos hoje à tarde ao Rio, passamos o centro, Botafogo, o Pão de Açúcar, Copacabana e instalamos acampamento em Ipanema. Um cocos gelados num quiosque bem no calçadão... mais um objectivo da viagem atingido ;-)) desfrutámos o momento, apreciamos as vistas descansámos enquanto esperávamos o contacto do Alessandro. Agora estamos a jantar com o ele, com a Gabi e com a Pyowany (será assim que se escreve???) na Barra, fomos recebidos mais uma vez de uma forma soberba, acho que por mais que eu receba amigos em Lisboa, nunca vou conseguir retribuir esta hospitalidade.... Mais uma noite a afogar a tristeza do fim da viagem, amanhã logo se vê...

terça-feira, março 14, 2006

O principio do fim.

Visitar a cidade maravilhosa é sempre uma experiência agradável, mesmo com as noticias recentes da "guerra" exercito/traficantes esta cidade será sempre um dos lugares mais bonitos do mundo. Ontem estávamos a jantar e no Jornal nacional só falavam da quantidade de militares nas ruas do Rio, à poucos minutos passámos na entrada da Favela da Rocinha e pudemos comprovar que os pára-quedistas não estão ali a brincar. Vários carros de combate centenas de militares equipados até aos dentes e dois helicópteros Puma a sobrevoar a área.... parece uma zona de guerra, mas é só virar a esquina passar um túnel... e de novo uma baia magnifica nos leva para outro mundo, o Rio é assim. Ontem saímos já tarde da casa do Silvio, guiados pelo Chapolin seguimos pela Via Ayrton Senna para evitar o transito pesado. Chegámos à Serra das Araras já com o pôr do Sol e atravessámos o centro do Rio já com noite escura, o objectivo é chegar rápido à Região dos Lagos por isso passamos directo para a ponte na direcção de Niterói, vemos o Rio na volta. Nos preparativos para a viagem acabei por me esquecer de trazer a chave da casa de Arraial, problema prontamente resolvido pelo Chapolin com um telefonema para o Alessandro Meau. Alô Alessandro, dá para ficar na sua casa de Cabo Frio esta noite??? Claro, ligo já para o caseiro e ele dá as chaves pra vcs..." O Brasil é assim, mais do que paisagens magnificas, praias soberbas e calor tropical são as pessoas que tornam este país inesquecível. A amizade aqui é servida em quantidade industrial. Conheci o Alessandro e a Gabi na ultima vez que estive por cá, juntos com a Verbena, o André, a Milene, o Silvio e o Chapolin percorremos todas as prainhas de Arraial, Cabo Frio e Búzios. Foi cumplicidade à primeira vista e desde então defino este grupinho como a minha família brasileira. Antes mesmo de descarregar bagagem fomos direito a um restaurante japonês velho conhecido, estamos no ponto mais a norte desta viagem e importa comemorar. O Teles a principio ainda tem alguma reserva acerca das iguarias japonesas mas não demorou muito a ficar fan do Sushi e do Saké :-) Comemorar é agora a palavra de ordem, estamos no final da viagem e importa afugentar a tristeza que acompanha todos os finais de viagem. Afogámos essa tristeza com uns mergulhos nas aguas da Prainha de Arraial, a lua foi a nossa única espectadora na noite que marca o principio do fim da viagem.

domingo, março 12, 2006

Voltamos a casa! Voltamos ao Brasil

Ou melhor à casa do Silvio em São Paulo....mas nos sentimos novamente em casa... Novo dia e nova incontinencia da Alzira, desta vez um dos tubos de gasolina rompeu com o calor, apesar de ser uma regra de ouro nas viagens de moto parece que é nossa sina terminar o dia de viagem dirigindo de noite.... chegamos a Puerto Iguaçu erá já noite escura :-) Não existem adjectivos para descrever as cataratas, é simplesmente uma das maravilhas do mundo. Ficamos do lado Argentino um dia inteiro só a desfrutar aquela belesa. Viajamos de Trem da Selva, caminhamos por cima das cataratas, descemos parte do rio num bote de rafting, subimos num Unimog..... tudo isso colorido por milhares de borboletas, jacarés, macacos, tucanos, tartarugas e um sem numero de aves exoticas... que lugar magnifico!! No dia seguinte passamos para o Brasil, seguimos a dica do Daniel (obrigado Daniel)e ficamos na melhor pousada da juventude do Brasil, a pousada de Paudimar em Foz do Iguaçu. O pessoal de lá é supersimpatico, fomos muito acarinhados e o lugar realmente bem gerido, só lamento que os brasileiros nao sejam muito adeptos deste tipo de acomodaçao, 99% dos hospedes eram jovens europeus. De manha colocamos as motos numa oficina fazendo um pequena revisao e trocando oleo, enquanto isso tinhamos planeado visitar a maior barragem do mundo e dar um passeio por Cidade Del Este no Paraguay. Nem uma coisa nem outra, o Paraguay fechou a fronteira como forma de protesto em relaçao ao reforço no controle da policia brasileira ao contrabando oriundo daquela cidade, só paraguaio entra e saí, todos ou outros ficam onde estão nem saiem nem entram e isso durante 2 ou 3 dias até decidirem abrir de novo a fronteira... na semana passada teve gente retida no Paraguai por 3 dias... A Barragem só tem passeios de onibus, com guia e programinha de meio dia e isso já é turismo de mais para nós por isso segue viagem... O caminho está bom e a estrada é devorada com algum facilidade, o ponto mais alto do dia, ou melhor da noite :-)) foi a dormida.... ficamos num tipico Motel de beira de estrada! Com direito a cama redonda, espelho no tecto, som ambiente e mais uma serie de adereços interessantes :-)) Naum sei o que aconteceu com o Rui e o André que ficaram juntos num destes quartos, mas lá que acordaram muito sorridentes...lá isso acordaram.... Ontem foi mais um dia a comer estrada, a DR do Teles tem uma pequena fuga de oleo no radiador e tivemos de abrandar um pouco e tentar uma reparação com epoxy. A fuga diminuiu mas mesmo assim continuou a cair oleo nos pés do Teles, com isso chegamos a São Paulo eram umas 8 da noite. Fomos recebidos pela familia Ventura, a familia Chapolin e a Familia Etienne d´Piauí numa chuarrascaria daquelas de cair para o lado de tanta comida, mas soube bem..... soube muito bem!! Ficamos na conversa contando as aventuras até tarde e depois atravessamos SP até a casa do Silvio onde fiacmos a dormir esta noite. Agora esperamos conseguir reparar o radiador de oleo do Teles com a ajuda do mecanico MacGuiver e seguir o mais cedo possivel para o Rio, desta vez o Chapolin vem com agente mas tá todo arrumadinho, limpinho..... hummmmm sei não... acho que no primeiro barranco agente empurra ele para o chão.... só para ele ficar integrado na nossa sujeira....

quarta-feira, março 08, 2006

De volta calor tropical

O "Chaco" é chato!! Ou nem por isso, nós é que estamos mal habituados ;-)) Ontem saimos ao meio dia de S. P. de Atacama depois de uma visita final ao Vale da Lua, um local impressionante que realmente parece de outro mundo. A Alzira acordou mal disposta e ficou tao impressionada com o vale que resolveu aliviar o peso do seu disco de travao ;-)) Assunto resolvido (disco na mala) e segue viagem que hoje temos uma cordilheira para atravessar! Foi viagem de pouca dura, poucos quilometros e pouca altitude depois (3200mt) a Alzira volta a pedir a nossa atençao ;-) Desta vez nao passa dos 60 e esta com gazes estranhos :-) uma rapida inspecçao isolando hipoteses e toca de limpar as velas... mais um assunto resolvido! Segue!! E seguimos... pelo ponto mais alto da viagem (tecnicamente falando claro :-))Exactamente 4868 metros registados no GPS!! Eu nos ultimos dias nao estive grande coisa, estar engripado a 4800mt de altitude nao é uma situaçao agradavel. A essa altitude já custa respirar normalmente quanto mais com o nariz entupido e com dor de cabeça! Se a isso juntarmos uma variaçao termica entre -2 graus às 6 da manha na viagem para o Tatio e 38 graus à sombra do Atacama temos uma mistura nada confortavel! Passamos por varios salares e por alguns vulcoes perfeitamente conicos e finalmente chegamos ao passo da Cordilheira para a Argentina. As aduanas sao nas cidades proximas de ambos os paises que ficam nuns mais respiraveis 2500mts de altitude de forma que o passo é só isso mesmo um passo!! Uma tabuleta que diz que o Chile termina e a Argentina começa ali! Estavamos na esperança de começar a descer mas nada disso, 4000 mts pelo menos mais uns 150kms e depois mais 150km a 3500mts.... A minha cabeça só nao explodiu porque tinha o capacete ;-)) mas a ajuda na bomba de gasolina de Susques veio a calhar, um chá de coca e umas folhas para mascar aliviaram bastante a dor e a descida foi mais tranquila....na boa....uauuuuuuuuuuuu ;-)) Bom com os reparos da Alzira perdemos algum tempo e o sol resolve ir embora no ultimo salar, a verdadeira descida começa já com a noite escura. Os conhecidos "caracoles" em pouco mais de 100 kms levam-nos dos 3500mtr até aos 1500mtr isto claro contanto com as curvas, sim porque em linha reta pelo gps fizemos uns 30kms no maximo!!! Impressionante! Eu ia a descer todo satisfeito mascando a minha coca ja sem dor de cabeça mas o mais radical foi o Rui que mesmo so com travoes na frente foi a gozar todas as curvas... alias a Alzira vai ficar na historia por ter sido sem duvida a unica Cagiva a atravessar a Cordilheira dos Andes só com travoes na frente :-) Chegamos a Jujuy onde depois de abastecer resolvemos dormir por ali mesmo. Hoje saimos relativamente cedo, esperava-nos "El Chaco" uma regiao plana com temperaturas muito elevadas e uma reta de 800kms! Depois de ler o relato do Rodrigo (alias obrigado pelas dicas Rodrigo ;-) estavamos preparados. Muita agua, gasolina de reserva e roupas preparadas e seguimos....e seguimos...e seguimos...até o Teles furar. Por sorte foi logo depois do almoço e tinhamos a bomba de gasolina com um compressor de ar ali ao lado e tudo, sorte de Inshalá ;-) Uma hora depois seguimos de novo pela paisagem igual e monotona apenas colorida pelas nuvem de borboletas que teimavam em vir contra as motos. estava eu a pensar nas semelhanças desta paisagem com a savana africana e eis que surge outro ponto de interesse ;-) a estrada de repente fica tao esburacada que tem de se andar pelas bermas... parece que estamos de volta à Guiné onde 95% das "estradas" sao assim... autenticos separadores centrais de pistas de terra... A noite caiu novamente e ainda estamos a 180kms de Corrientes onde tinhamos planeado dormir, resolvemos dormir aqui mesmo e nao arriscar seguir de noite, existem muitos animais e pessoas nas bermas e os caministas sao meio loucos por isso mais vale prevenir... ficamos em P.R Saénz Pena uma cidade pequenina mas muito movimentada, daqui a pouco tento por algumas fotos mas como para isso é preciso ter "estomago" vamos primeiro comer um belo "Bife Chorizo" NOTA: Quando falo em coca falo em folhas de uma planta, nada mais, nada manufacturado ou quimicamente alterado, uma planta regional e usada pelos nativos locais para combater a fadiga e o mal da altitude.

domingo, março 05, 2006

Está calor no Atacama!

Hoje a actualizaçao do Blog fica por conta do Andrè Espenica: Saimos de La Serena ja passava da hora de almoco (que foram umas empanadas) e entrámos no coracao do Atacama. Fomos dormir a Chañaral, uma cidade mineira junto à costa perto do Parque Nacional do Pao de Acucar - é, estes também tem um Pao de acucar! Ficamos numa hosteria muito baratita e no dia seguinte às 7h da matina estavamos a sair para fazer muito km. Pasamos pelo tal Parque Nacional, depois hesitamos em meter-nos em 350km de ripio para ir a um observatorio que tem o maior espelho do mundo (14m de diametro), mas nao descobrimos a estrada e perdemos o observatorio, para grande magoa do Rui. O problema da gasolina também nao facilita. as bombas sao as vezes a 200km umas das outras e nao da para inventar à ultima da hora. Ja onteontem tivemos que fazer uma transfega para conseguir que o Teles chegasse à bomba. Passamos ao lado de Antofagasta - o sitio mais feio que vimos ate agora - directos a Calama. Aqui queriamos ir ver a maior mina a ceu aberto do mundo, mas parece que para isso teremos que ir de excursao em autocarro e hoje (ontem) ja nao dá. Deixamos a mina. Entretanto hoje de manha queriamos ir ver o Geiser del Tatio, e é preciso chegar lá antes do nascer do Sol. Pensamos primeiro ir de vespera (ontem) e dormir lá (há um abrigo a 1km do Geiser), mas comecamos a pedir informacoes e dizem-nos que de Calama sao 230km de estrada de terra, má. A melhor opcao seria ir por S.Pedro de Atacama e dai ao Geiser mas sao os mesmo km, mais ou menos. Entretanto faltavam 40m para o sol desaparecer e metermo-nos numa estrada de alta montanha (o Geiser está a 4300m de altitude), sem saber o estado da estrada, nem a distancia certa, de noite, nao parece boa ideia. Mas, acabamos por comprar comida e metermo-nos a caminho. Conseguimos chegar, noite ja avancada, a uma pequena povoacao - Caspañas - a 41 ou 65 km do Geiser, segundo as varias informacoes disponiveis. Arranjamos dormida, fazemos um piquenique com o que levavamos e cama. As 5h da manha de hoje levantamo-nos (com muito custo) para ir para o Geiser. Era noite escura, nao sabiamos como se portariam as motas em altitude - a do Teles e a Alzira nao parecem la muito bem - mas lá vamos. Comecamos a subir dos 3300 metros a que fica a tal aldeia e tudo corre bem. Ainda de noite temos que fazer um corta-mato à Nomads, porque os caminhos nao estao muito bem indicados, mas chegamos a horas e somos os primeiros. Alias, se algum vez fizerem isto nao acreditem na conversa de que tem que lá estar ao alvorecer do dia. Eram quase 10 da manha, ja o sol ia alto e o espectaculo dos Geiser continuava praticamente igual. Dali vamos para S.Pedro de Atacama. A descida faz-se por uma paisagem deslumbrante. Há dias o Carlos dizia que provavelmente iamos ficar decepcionados com o Atacama. Muito pelo contrário. As paisagens sao absoutamente deslumbrantes. As cores da terra e das rochas, as formas do relevo as cambiantes que a luz cria, sao um espectaculo lindissimo. Na descida do Geiser para S. Pedro de Atacama (100km) demoramos umas 4 horas por causa das paragens para tirar fotos: aos picos da cordilheira, às rochas aos desfiladeiros, aos montes, às alpacas, ... De madrugada, lá em cima, o frio era terrivel. À medida que descemos, o calor comeca a apertar e temos que nos ir despindo ate chegar a S. Pedro onde devem estar uns 35 graus. Mas ao menos podemos respirar. A 4300 metros, qualquer esforco um pouco maior deixa-nos a arfar e meio tontos. O plano é ao fim do dia ir ver o Vale da Lua e amanha seguir para um dos pasos da cordilheira (ainda nao decidimos qual mas já sabemos que as motas nao darao problemas em nenhum - problemas de altitude!) passando pelos salares. Depois espera-nos o Chaco argentino: 800 km de nada com temperaturas da ordem dos 40 graus ou mais. Daqui a 3 dias esperamos estar em Iguacu. As fotos continuam dificeis de colocar. Os meus companheiros estao a dormir a sesta. Vou acorda-los `para irmos ver a lua.

sexta-feira, março 03, 2006

Rumo ao Norte

Bom espero que desta consiga enviar esta actualizaçao!! Estou a tentar pela 3 vez e no 3º computador!! Antes de começar queriamos agradecer todas as mensagens de apoio que temos recebido pelos varios meios, poelo livro de visitas, pelas msg ou mesmo pelo email. É muito bom ler as vossas mensagens depois de mais naoseiquantos mil quilometros e saber que existe muita gente que viaja connosco! Muito obrigado, todos aqui esperamos que os proximos a viverem o sonho sejam vcs, dessa vez seremos nós a dar força! Bom adivinhem onde estamos?? Ora pois pois, na oficina pois claro ;-) Estamos em La Serena, a 450kms a Norte de Santiago, depois de alguns contratempos nos ultimos dias. Tudo começou com o atraso no Barco, partimos um dia depois do previsto, depois já em Puerto Mount depois de 35kms de chuva forte o sensor Hall da minha GS pegou uma gripe e calou o motor... já no ano passado tinha tido este problema na pista da praia na Mauritania e por pouco nao entrei em panico, desta vez nao, monta a tenda, saca as bolachas e o chá que ele daqui a pouco esta melhor.... Os companheiros de viagem forma regressando à minha procura e encontraram-me descansado abrigado da chuva numa paragem de autocarro já com a tampa do motor a arejar ;-)) O Alemao para surpresa geral traz um sensor Hall novo de reserva, já tinha sido ele a safar a viagem em Buenos Aires com um disco de embraiagem de reserva e agora um sensor Hall.... tenho que casar com este Alemao ;-)) 30 minutos depois estamos de novo a rodar rumo a Ozorno. Esta é a ultima noite do grupo todo, a comitiva brasileira regressa daqui directo para Sao Paulo, nós os Portugas seguimos até ao deserto do Atacama e só depois regressamos ao Brasil. O Rolf, a Ve, o Andre e o Raul vao fazer falta, com eles a animaçao é garantida e viajar é ainda mais um experiencia magnifica!! Um bom regresso para vcs amigos, com segurança, nos vemos no Rio! Depois das despedidas "comemos" 900kms de PanAmericana até perto de Santiago. Depois de varias tentativas sem sucesso de contactar o Nomad Chileno Mario, optamos por atravessar pela costa evitando a confusao de Santiago. Acampamos perto de Vina del Mar. Ontem passamos a manha a percorrer a ruta "costera" calmamente passando por Val Paraiso e uma serie de praias fantasticas. Voltamos à estrada pelas 3 da tarde e o objectivo era subir o mais possivel até anoitecer. Até âs 7 da tarde nao correu mal, mais 450 kms "comidos" mas depois veio a TPM (tensao pre mestrual) da Alzira! Como toda a mulher bonita a Alzira (a Cagiva 900) tem aquelas alturas do mes, e assim do nada resolveu cuspir a corrente no meio da PanAmericana... Estamos no meio do nada, faltam 90 kms para a cidade mais proxima e nenhum dos elos de ligaçao de substituiçao servem naquela corrente. Nem os das Dr's nem um original Cagiva que o Rui trouxe de Portugal serve!!! Ok reboque (ler GS) a funcionar até um restaurante a pouco mais de 8 kms. Quando nos preparavamos para acampar atras de umas casas eis que surge esbelto um camiao com uma pick-up em cima.... os nosso olhos cintilaram com tamanha soluçao.... pensado...dito e feito, meia hora e 20.000 pesos depois (40USD) estamos todos a caminho de La Serena! O Rui vai com o camionista e a Alzira vai à conversa com a pickup... Agora estamos aqui numa oficina a ver se encontramos uma soluçao... com todos estes contratempos estamos 2 dias e meio atrasados em relaçao ao previsto, mas pensamento positivo... Inshalá voltamos a dar noticias de Sao Pedro de Atacama daqui a 2 ou 3 dias!!