quinta-feira, julho 17, 2008

É o fim!

É o fim de tudo, a maquina fotográfica avariou, a de filmar está encravada, as luvas rasgadas, as botas estão rotas e para completar uma abelha entrou dentro do meu capacete e fez uma festa... acho que é altura de voltar a casa. A única coisa que continua perfeita como se não tivesse feito quase 18.000 kms no ultimo mês e meio é a minha BMW GS. Não tenho duvidas em afirmar; é melhor moto do mundo!! :) Zero problemas, noites de temperaturas negativas, chuva com fartura, gasolina de todos os tipos e feitios, altitude, areia, lama, neve e ela sempre a roncar como se nada fosse... perfeita. O resto do equipamento, incluindo o dono, estão gastos... usados... cansados! Finalmente entrei nas auto-estradas, depois de me despedir do Joe segui para Bordéus, jantei em Biarritz, passei por Bilbau e dormi em Pamplona. A Inga está cada vez mais famosa, foi recebida com fogo de artificio em Biarritz e nas auto-estradas francesas foi flashada 3 vezes.... o que vale é que os flash eram todos de frente a a matricula está atrás ;) Li que está a acontecer o "Encierro" a mais famosa largada de touros de Espanha, não sou grande adepto de "touradas" mas mais típico que isto em Espanha é difícil! alem disso eu costumo sempre passar Espanha a fugir, por isso procurei algumas informações e decidi ver Pamplona. Realmente o evento não é muito interessante, acho até que é um bocado estúpido, soltam uns touros e desatam a fugir deles... que raio... com tanto calor não era melhor ficar quieto nas esplanadas a beber cerveja e comer tapas??? Mas isso digo eu que ando à mês e meio sentado numa moto a comer mosquitos, muita gente deve achar que isso tb é um bocado estúpido :) Seja como for a maioria das pessoas que está em Pamplona deve concordar comigo, os touros são apenas uma desculpa, estão quase todos de copo na mão ;) De Pamplona devorei toda a Espanha até Vilar Formoso, parei apenas em Tordesilhas para umas tapas e uma cerveja gelada. A poucos quilómetros de Portugal começo a sentir o cheiro de estevas. Gosto deste cheiro, lembro-me que quando era puto viajava o dia inteiro com os meus pais de Lisboa até Trás-os-Montes, não havia auto-estradas na altura e uma viagem de 450kms era uma aventura para um dia inteiro. Não conhecia nada de geografia na altura, nem de caminhos, nem de viagens mas odor das estevas em flor dizia-me quando estava perto de chegar ao destino. Agora acontece o mesmo, o vento quente enche o ar com este cheiro adocicado... estou a chegar a casa! Era para dormir em Trás-os-Montes mas ainda é cedo e por isso depois da obrigatória bica no primeiro café de Portugal sigo para Sul. Paro na estação de serviço de Abrantes, tento novamente ligar a maquina fotográfica... nada, continua morta, a de filmar tb recusa-se a ligar. Folheio a MotoJornal enquanto mordo um magnum, passo os olhos pelas capas dos jornais e revistas... tá tudo na mesma. Saio do fresquinho ar condicionado da loja de volta à Inga, ela está a ser apreciada por 2 jovens "motards"... as T-shirts têm o simbolo do Rally Dakar e dizem em letras gordas LONDRES - LISBOA.... um deles pergunta, "viestes daonde??" eu respondo... quando hoje??? "Não pá da tua viagem, até onde fostes" Fui ao Cabo Norte... ele olha-me com uma cara de que não sabe bem onde é.... Noruega, fui à Noruega! "Ahhhh, agente veio de Londres!" responde ele de peito inchado, o seu companheiro continua à volta da Inga. "Lá autocolantes tem ela!" diz o outro, "pois, deve ter comprado todos numa loja em Espanha...HAHAHAHAHAHA" O meu sorriso silencioso concorda com eles... enquanto termino o cigarro passam slides na minha mente... aquele pôr do sol na pista vermelha do Senegal, a chegada às cataratas do Iguaçu, o gole de cachaça de frente para o rio na Amazónia, a escalada das Torres del Paine na Patagónia, a pista do ouro na Terra do fogo, o sol da meia noite no circulo polar Árctico, as noites brancas de São Petersburg, a vista do Cristo Redentor... mais um gole de agua fresca, ligo a Inga e um deles pergunta, "agente vai para Faro, e tu?? agora vais praonde?? eu respondo... Noobai Afrika!

domingo, julho 13, 2008

Souvenirs de viagem...

A minha familia e amigos ja estao acostumados a nao receber souvenirs, uma das grandes "vantagens" das viagens de moto é que todo o espaço de bagagem é obviamente pouco e por isso presentes e souvenirs pura e simplesmente nao cabem. Apesar disso costumo comprar alguma pequena lembranca em todos os paises que passo, algo tipico, caracteristico do local..... no entanto poucas vezes elas chegam inteiras a Lisboa. Em Bruxelas comprei chocolate para a minha PT, comi-o numa noite de solidao; em Amsterdao comprei uns cigarros para o meu amigo Zinga, fumei-os numa noite de solidao; na Russia comprei Vodka para o Martins, bebi-a numa noite de solidao.... o meu irmao teve sorte, o seu presente nao e comestivel mas mesmo assim ja foi usado umas vezes... sorry.... Andava eu a pensar que souvenir levaria da Bavaria na Alemanha quando conheci a Heidi! A Heidi é uma alema linda, agressiva, selvagem, apesar de magrela tem curvas sensuais, latinas.... é sexy... Conversei com a Inga e apresentei-lhe a Heidi, expliquei-lhe que a ela é pura e simplesmente insuperavel, insubstituivel, mas que tal como eu ela ja tem uma certa idade, muita rodagem... tem de ser poupada, mimada, continuarei a viajar com ela mas por destinos mais conservadores.... uma voltinha pela Toscania... pela Escocia... pela Corsega....talvez a Sicilia... Eu tambem ja não tenho a 20 anos e cada vez menos jeito para andar de moto, tenho de compensar essa falta de jeito e o peso da idade... por isso a Heidi :) a Inga concordou... Souvenirs à parte a viagem continua a correr bem, tal como previsto visitei demoradamente o campo de concentracao Auschwitz perto de Kracovia na Polonia, mais de um milhao de pessoas foi assassinado nesta gigante fabrica de morte e está tudo bem documentado no excelente museu de Auschwitz, a visita guiada ajuda-nos a entender os pormenores e a compreender exactamente a dimensão deste momento triste da historia universal.... uma visita a este lugar devia ser obrigatoria na formacao de todos os seres humanos... talvez com isso existisse menos extremismo, mais tolerancia.... a garganta fica seca, ficamos sem palavras ao passar por celas, por corredores, por paredes onde milhares de pessoas foram executadas apenas por serem de outra raça ou religião.... um lugar que marca. Era já bastante tarde quando avancei na direcção de Eslovenia e das montanhas Tatra, as nuvens escuras no cimo da cordilheira presentearam-me com um grande molha que nao me deixou desfrutar das curvas e das paisagens como eu gostaria. Mais uma vez adiei demasiado a paragem para vestir o impermeavel e fiquei novamente molhado e gelado, acabei por decidir dormir nas montanhas, encontrei uma pequena pousada e refugiei-me da chuva, sequei as roupas e esperei pelo sol para poder finalmente apreciar as belas montanhas de Tatra. No dia seguinte cheguei cedo a Budapeste ja na Hungria, almocei e caminhei demoradamente pela cidade, ja nao estou com grande interesse em castelos e museus, prefiro desfrutar do ambiente da cidade, das ruas movimentadas, das colinas... Budapeste é grande, demasiado grande até, na verdade são duas cidades pegadas, Buda e Peste e eu não estou com grande paciencia para cidades muito grandes, com demasiado transito... sigo para Bratislava. Não consigo encontrar um lugar para dormir na capital da Eslovenia, assisto ao por do sol perto do castelo enquanto janto uma salada colorida e sigo para Viena de Austria. Viena é já uma cidade conhecida, já vi os museus, castelos e catedrais noutras viagens por isso limito-me mais uma vez a desfrutar das famosas esplanadas e cafés de Viena. Encontrei um hostal no coracão do red light distric da cidade, o lugar nao e o melhor mas tal como em Bratislava está tudo cheio por isso não tenho grande escolha. No dia seguinte depois de um belo pequeno almoço decidi seguir para Praga, o Joe só amanha é que esta disponivel para rodar comigo e a capital da Republica Checa fica só a 400kms daqui. Tambem já conheço Praga mas é sempre um prazer voltar a uma das minhas cidades favoritas, na verdade o que me fez decidir foi o caminho, conheço Praga mas não conheço a Republica Checa vou aproveitar esta oportunidade para conhecer o interior do país. Surpreendentemente os checos são uns bem dispostos, tambem têm castelos interessantes :) Cheguei cedo e fiquei no hostel do costume, chama-se Mariee Briatrz e apesar de ser um "boutique Hostel" cheio de charme e mobiliario de design é bastante economico. Apanhei um dos electricos e segui para o castelo, fiz a caminhada de lá até ao centro historico atravessando a "minha" ponte (Ponte Carlos I :) e as ruelas da baixa até outro dos meus vicios em Praga, uma sandwich de tofu com cogumelos torradinhos no Rufous, um pequeno barzinho que toca um chill out delicioso escondido das resmas de turistas que enchem a cidade. Praga é sempre agradavel mas hoje está mais bonita ainda, a luz está magnifica enchendo as margens do rio com um dourado forte, as inumeras torres e pinaculos da cidade apanham os ultimos raios de sol... a silhueta da cidade revela-se ao luar! Praga é bela! No dia seguinte saí tarde da cidade, é o costume, esta cidade tem o poder de nunca nos cansar. Apanhei pela primeira vez auto-estrada até Munique, desde a Dinamarca que não pisei numa auto-estrada e já la vão mais de 10.000 kms. O Joe estava à minha espera, seguimos para um bier garden e para uma visita à sua cidade. Ele não se pode queixar, vive numa zona rural muito calma e bonita a poucos quilometros de Munique, um pequeno paraiso onde fui muito bem recebido, obrigado Joe! Já com o Joe como companheiro seguimos por estradas de montanha até à Touratech onde conheci a Heidi, a sexy Heidi. Entrámos na Suiça mas ela não nos recebeu bem, uma chuva intensa forra todo o país por isso em vez do roteiro que previamos fazer na direcção dos lagos do norte da Italia vamos bordejando a chuva junto da fronteira com a França. As montanhas são bonitas e as estradas repletas de curvas deliciosas, fugimos da chuva e começamos uma dança pelas curvas que nos leva até Lyon, até ao Jorge e à sua bonita familia. Eles recebem-nos magnificamente, churrasquinho delicioso, vinho portugues e uma conversa gostosa que se arrasta até à madrugada, obrigado Jorge e Madeleine! Hoje é o dia da Liberdade na França, é o feriado mais importante do país que está todo enfeitado, nós comemoramos com o Jorge e a sua dominator numa estrada que atravessa a região do vale de Dourdone subindo e descendo montanhas por estradas simplesmente perfeitas. Continuamos atravessando as montanhas de França por pequenas estradas nacionais, viajar com o Joe é porreiro, temos um ritmo identico, sem exageros e gostamos os dois de curvas, pena não conseguirmos uns trilhos... mas a coisa já está agendada para quando a Heidi estiver pronta.

domingo, julho 06, 2008

Mergulho no Baltico

Finalmente consegui matar saudades de um bom mergulho no mar. Estou encantado com os paises do Baltico, a Estonia, a Latvia e a Letonia sao paises relativamente parecidos com Portugal, nao em termos geograficos ou paisagisticos mas na forma descontraida e relaxada como tanto nos portugueses como estes povos desfrutamos a vida. Sinto uma tranquilidade saborosa no ar, alegria nas esplanadas, gosto em saborear o sol, percebe-se claramente que este e um povo cauteloso, discreto, recatado e eu acho que apesar das diferencas obvias de cultura somos parecidos.... e bom sentir isto depois de tanta escandinavia... 'e confortavel... Acabei por ficar mais tempo em Sao Petersburgo do que o que previa, a cidade merece e a dor de cabeca da vodka do casamento nao me deixou fazer grande coisa no dia seguinte... limitei-me a descansar, passear sem rumo utilizando o metropolitano e a dormir uma bela sesta num dos muitos jardins da cidade. O caminho para a fronteira com a Estonia trouxe as estradas da Russia que eu estava a espera de encontrar desde o inicio, esburacadas, abandonadas e serpenteando entre aldeias onde ainda e bem visivel a URSS. Almocei numa delas, por gestos e sons consegui explicar a senhora que queria comer, ela fala comigo em russo sem pestanejar como se estivesse certa que eu entendia tudo perfeitamente, BISTEC.... opa essa eu percebi...sim, sim, bistec!! fantastic!! Um bifinho panado com uma saladinha e pure de batata... maravilha. Digeri o bife nas duas horas de espera na fronteira... Na Estonia esperavam-me estradas novas em folha, curvas bem desenhadas, limites de velocidades maiores e uma linguagem que utiliza letras que eu conheco. Aproveito tudo com prazer, rodo a um deliciosos 150kmH, o Ipod debita um reggae porreiro, depois um samba, uma bossa.... o sol bate nas minhas costas com forca, o vento fresco atravessa o meu casaco aberto, que bem que se esta aqui.... de repente um carro em sentido contrario faz sinal de luzes, sorrio e aceno ao cumprimento, o carro tem umas luzes azuis pequenas no meio da grelha frontal, deve ser tunning penso eu... as luzes piscam, nao, nao e tunning, e a policia! Um carro descaraterizado apanhou--me no radar a 150kmh, to tramado!!! Eu encosto, os policias fazem inversao de marcha e param atras de mim, olham curiosos para a matricula, eu tiro o capacete, as luvas e de cara alegre cumprimento-os com firmesa: Carlos from Portugal, pleased to meet you. Sorriem...ja nao e mau... chamam-me para ver o radar no interior do carro, pois 147kmh... but the road is very good... no traffic... i'm sorry... eles nem ai nem ui, sorriem outra vez, dizem adeus entram no carro e seguem caminho... ufffffffffffff Ja estava a espera de gostar de Talim, mas gostei mais do que estava programado, 'e uma cidade doce...deliciosa... sim o adjectivo certo e deliciosa! Romantica qb, virada para o mar, folheada com uma muralha um varias camadas, polvilhada de mineretes de igrejas medievais, recheada com esplanadas animadas por gente bonita e por fim servida num belo dia de sol. Mais uma vez acabei por me demorar mais do que o previsto, fiquei dois dias a desfrutar deste doce, fui a todos os lugares de interesse, subi torres de igreja, assisti extaseado a concertos de orgao e violino em igrejas medievais, tomei demorados cafes em esplanadas magnificas, caminhei no calcadao da praia e mergulhei pela primeira vez no Mar Baltico, foi bom. Nao fossem os barulhentos ingleses, os embriagados finlandeses e os invernos rigorosos e esta seria uma boa cidade para se viver... Ontem segui para Riga, sao poucos quilometros mas eu demorei o dia inteiro, parei umas 4 ou 5 vezes para nadar no Baltico, pelo caminho ha varias praias quase desertas e eu nao consegui resistir, a agua e mais quente que a das praias de Portugal e a areia e igual, apenas o mar nao e tao azul, mas isso ja seria perfeito demais. Cheguei ja tarde a Riga, o primeiro hostal esta cheio por isso passo para a segunda opcao, o hostal Argonauta. Chego satisfeito mas cheio de comichao por causa da agua salgada, no quarto ao lado estao 5 estonios, peco emprestado um gel para barbear e ganho 5 amigos, estao todos a beber vodka com martini dum copo de 2 litros, oferecem-me e eu aceito, ficamos a conversa, gostam de Portugal e eu gosto da Estonia, dizem que vao para o Nautilos, um bar num submarino algures em Riga... acabou a vodka e o martini, vamos? Vamos! O bar nao e grande coisa, a musica tb nao, os estonios comecam a dancar e eu comeco a achar que talvez nao tivesse sido tao boa ideia, eles comecaram na vodka e no martini bem antes de mim e estao bastante animados... mas a animacao dura pouco, uma hora depois ja estao com os bofes de fora encostados num sofa a dormitar... hora de voltar para o hostal! Hoje passei a manha a passear por Riga, a cidade e interessante mas depois de Sao Petersburgo e Talin fica dificil ficar impressionado com mais castelos e igrejas medievais por mais belas que elas sejam, mas Riga tinha um trunfo. Esta a decorrer o festival de musica de Latvia, o maior evento cultural do pais e hoje e o dia da abertura, a cidade esta cheia de pessoas vestidas com roupas tradicionais de cada uma das regioes, teem flores nos cabelos, tocam musicas medievais e dancam por toda a cidade. O cortejo passa em frente a uma varanda onde o presidente da Latvia e o respectivo primeiro ministro dao as boas vindas a todos os grupos representado todas as vilas do pais. Soube disto gracas a Inga que continua a chamar as atencoes, um casal meteu conversa, gostou da moto, convidou-me para uma cerveja, eu explico que para mim ainda e cedo para cerveja, tomo um cafe e juntos assistimos ao cortejo explicado com rigor e orgulho pelo Martin e pela Lai... mais uma boa recordacao! Na saida da cidade penso com os meus botoes como me adaptei a esta vida errante e solitaria, como me sinto confortavel neste espaco tao pouco privado entre o guiador da moto e a mochila da roupa suja... como negoceio descontraidamente a incertesa de onde vou parar, onde vou dormir hoje.... sinto-me bem, satisfeito, abencoado.... apesar das saudades de casa. Agora estou em Kracovia o Teles ligou-me a pouco, parece que ta cheio de pica para papar kms para chegar a Lisboa 6 feira... eu estou com mais calma... aqui em baixo tenho Budapeste, para la chegar tenho de atravessar as montanhas de Tatra e a Eslovaquia.... depois ao lado tenho Bratislava e Viena...hummm sei nao, vou perguntar ao Teles e ao Joe se eles nao querem vir ter a Viena... ou Praga...