terça-feira, março 14, 2006

O principio do fim.

Visitar a cidade maravilhosa é sempre uma experiência agradável, mesmo com as noticias recentes da "guerra" exercito/traficantes esta cidade será sempre um dos lugares mais bonitos do mundo. Ontem estávamos a jantar e no Jornal nacional só falavam da quantidade de militares nas ruas do Rio, à poucos minutos passámos na entrada da Favela da Rocinha e pudemos comprovar que os pára-quedistas não estão ali a brincar. Vários carros de combate centenas de militares equipados até aos dentes e dois helicópteros Puma a sobrevoar a área.... parece uma zona de guerra, mas é só virar a esquina passar um túnel... e de novo uma baia magnifica nos leva para outro mundo, o Rio é assim. Ontem saímos já tarde da casa do Silvio, guiados pelo Chapolin seguimos pela Via Ayrton Senna para evitar o transito pesado. Chegámos à Serra das Araras já com o pôr do Sol e atravessámos o centro do Rio já com noite escura, o objectivo é chegar rápido à Região dos Lagos por isso passamos directo para a ponte na direcção de Niterói, vemos o Rio na volta. Nos preparativos para a viagem acabei por me esquecer de trazer a chave da casa de Arraial, problema prontamente resolvido pelo Chapolin com um telefonema para o Alessandro Meau. Alô Alessandro, dá para ficar na sua casa de Cabo Frio esta noite??? Claro, ligo já para o caseiro e ele dá as chaves pra vcs..." O Brasil é assim, mais do que paisagens magnificas, praias soberbas e calor tropical são as pessoas que tornam este país inesquecível. A amizade aqui é servida em quantidade industrial. Conheci o Alessandro e a Gabi na ultima vez que estive por cá, juntos com a Verbena, o André, a Milene, o Silvio e o Chapolin percorremos todas as prainhas de Arraial, Cabo Frio e Búzios. Foi cumplicidade à primeira vista e desde então defino este grupinho como a minha família brasileira. Antes mesmo de descarregar bagagem fomos direito a um restaurante japonês velho conhecido, estamos no ponto mais a norte desta viagem e importa comemorar. O Teles a principio ainda tem alguma reserva acerca das iguarias japonesas mas não demorou muito a ficar fan do Sushi e do Saké :-) Comemorar é agora a palavra de ordem, estamos no final da viagem e importa afugentar a tristeza que acompanha todos os finais de viagem. Afogámos essa tristeza com uns mergulhos nas aguas da Prainha de Arraial, a lua foi a nossa única espectadora na noite que marca o principio do fim da viagem.

1 comentário:

  1. Fico muito feliz de INDIRETAMENTE OU DIRETAMENTE fazer parte dela (a viagem), mais uma etapa um sonho realizado, e tudo correu muito bem não trazendo nenhum dissabor, muito pelo contrário só ganharam, com tudo o que passaram, novos amigos, novos lugares, varias lembranças, e a certeza que é possível tornar um sonho realidade, basta ter determinação...

    Aos 4 vadios e a todos que compartilharam desta viagem, desejo muita saúde, sucesso e paz, do que precisarem do amigo aqui na terra Tupiniquim, estou a disposição..., isto estende-se a qquer outro NOMAD´S ou qquer um com o espiríto motocilcista.

    Boa sorte a todos !!!

    Silvio Ventura - SP- Brasil.

    ResponderEliminar