quarta-feira, dezembro 15, 2010

Acabou o sabão.

Acabou o sabão azul e branco... e todos sabemos que sem sabão azul e branco não se pode viajar de moto :) Há que voltar a casa, comprar mais sabão, juntar mais algum dinheiro, acumular mais algum tempo e voltar para continuar a eterna viagem. Esta é uma viagem que ganhou um espaço especial na minha memória, foi uma das mais duras, uma das mais difíceis, mas também uma das que passou por locais mais belos. Nos meus arquivos ficam momentos mágicos de solidão em lugares incríveis, momentos duros testemunhando a violência da natureza, e instantes memoráveis com novos e velhos amigos das viagens. O ultimo dia foi o mais longo, 3 horas de moto e 20 entre aviões e aeroportos. A minha barba de 3 semanas também não ajudou, segundo as forças de segurança do aeroporto de Caracas devo ser parecido com algum traficante guerrilheiro. Só isso justifica 8 revistas integrais, 3 raio X de corpo inteiro e 2 horas sentado na salinha da brigada nacional anti-droga. A minha ideia de copiar a barba de marinheiro do capitão Bob não foi bem recebida pelos venezuelanos... Perante tantas interacções com as 4 forças militares diferentes no aeroporto, o atraso de 4 horas do meu voo passou despercebido. A Maria ficou na casa do Ruben e da Marief, amigos antigos que conheci durante a minha passagem pela Venezuela em 2007. Estas amizades que vamos juntando nas vadiagens são sem dúvida uma das grandes riquezas que nos trazem estas aventuras, amigos que se tornam família, família que nos acompanha sempre, estejamos nós onde estivermos. O Ruben a Marief e agora o pequeno César são a minha família Venezuelana, receberam-me, ajudaram-me e mimaram-me durante a minha passagem relâmpago na sua casa. Obrigado! Muito obrigado mais uma vez! A grande família brasileira apesar de longe e fora de rota desta vez acompanhou toda a viagem e tenho de confessar que é muito energizante e animador ver os seus comentários sempre que venho ao blog. Estou com saudades pessoal, a próxima tem de ser para esses lados :) Agora estou de volta a Lisboa, à crise, ao PEC e ao inverno. Fui recebido com um frio cortante mas com um sol radioso, fico sempre fascinado com a beleza da luz do nosso país. O frio soube bem na primeira noite, sobe bem na segunda, mas na terceira já começo a sentir falta do ar quente e húmido dos trópicos. Está na altura de começar a pensar na próxima :)

5 comentários:

  1. Welcome Back VADIO, presid, amigo
    LD

    ResponderEliminar
  2. Bem vindo a "casa" uma abraço.

    Rui de Sousa

    ResponderEliminar
  3. Missão cumprida, parabéns tenha certeza que viajamos com você todo o tempo.

    SAudações e feliz natal da familía Ventura

    ResponderEliminar
  4. Eu proponho que nos quotizemos para comprar mais sabão azul e branco e manter este vadio na estrada. Que me perdoe a família, mas, todos nós viajamos com o Carlos e as suas viagens alimentam-nos a todos nós.

    Como alguém já aqui disse, um grande bem haja pela partilha. Aguardamos todos com alguma ansiedade a próxima vadiagem.

    Até breve
    Bom Ano 2011

    ResponderEliminar
  5. Carlo Azevedo,Já fiz alguns dos trechos por ti percorridos e pretendo ir "com licença do termo, "ate ao fim do mundo (Ushuaia,na Argentina), dia 03 de de janeiro. Caso queiras visitar, meu blog é ; viajandodegs.blogspot.com .
    Moro no Acre(Brasil),vindo aqui terá nosso apoio logístico e poderemos também trocar experiências de nossas viagens. Um grande abraço. Gripp

    ResponderEliminar